Vamos todos cirandar?

No dia 19 de julho, o Grupo Quinto estreou na cidade o seu novo espetáculo, “Villa-Lobos: vamos todos cirandar!”. Nessa frase já tem algo um pouco estranho para o universo bastante acadêmico de seis pianistas que estudaram e se formaram pela Escola de Música da UFMG, acostumados com uma série de convenções próprias da sua área de estudo e trabalho: a palavra espetáculo. Afinal de contas, pianistas fazem concerto! Não é mesmo?

Pois é. Aí que vem o ponto central da proposta do grupo: promover conexões entre as mais diversas formas de arte, entre os pianistas, entre artistas e público, e entre as pessoas. Pegamos emprestado a palavra espetáculo lá do teatro, porque o que nós criamos não é meramente um concerto, mas também não deixa de ter elementos de concerto, de teatro, de artes visuais… Aqui, as fronteiras entre cada arte não são definidas. Nós saímos um pouco do nosso lugar de conforto, e contamos com duas parcerias essenciais para fazê-lo: nossa diretora cênica e figurinista Ana Hadad, e nosso designer gráfico Graziani Riccio.

No nosso espetáculo, arquétipos do universo infantil surgem através de seis personagens pianistas, que levam a um mergulho nas cantigas de roda, tão pesquisadas e difundidas por um dos maiores compositores brasileiros: Heitor Villa-Lobos. As peças foram escolhidas entre as Cirandas e Cirandinhas do compositor, que passeiam pela formação dos pianistas e pela memória do público. O piano – elemento central dessa ciranda – se transforma também em peça chave do cenário, recebendo projeções de vídeos e imagens que interagem com as músicas. Assim, vemos uma bailarina que dança desajeitadamente; ou flores que surgem junto com as notas; ou bolinhas de sabão, imagens do dia e da noite… As imagens arrematam a poesia proporcionada também pela música, pela cena, pela voz de Villa-Lobos…

O espetáculo “Villa-Lobos: vamos todos cirandar!” realiza um verdadeiro ingresso lúdico num mundo muitas vezes considerado árido – o mundo da música erudita. Foi pensado para crianças, mas é aberto para todas as idades. E aí, vamos todos cirandar? Afinal de contas, não é todo dia que se vê pianistas tocando com uma asa azul, ou “espanando” o piano, soltando bolinhas de sabão, usando um desentupidor de pia na cabeça…

Foto: Sérgio Cardoso

Por Bárbara Freitas

Anúncios